Month: July 2016

LXXVI dia

Curti essa noite jantandos com amigos em um lugar chamado Tiradentes, um bom jeito para fechar um dia que poderia ter sido melhor. 

A beleza desse lugar e das pessoas que vivem aqui no Brasil faz que tudo para mim fique um pouco mais facil quando estou triste.

LXXIV dia


Cresci em um “cortile”, um típico prédio italiano, com um portal, um grande espaço central e todas as casas em círculo. Eu e o meu irmão éramos as únicas crianças, suficiente para baixar a idade media que, em caso contrario, teria sido de 60 anos, porque a maioria das pessoas era muito velha.

E no espaço comum, onde eu e ele brincavamos, ficavam dois ficus, verdes, lindos, grandes. Mas não grandes quanto aquele que encontrei hoje.

Os ficus que estavam no meu cortile desapareceram alguns anos atras. Mas encontrar essa arvore me fez lembrar da minha infância e de como, quando eu era pequena, todo era diferente.

LXXIII dia

Depois se um tempo, resolvi de responder às mensagens do P., aquele que até alguns anos atrás, eu considerava a minha alma gêmea (antes de descubrir que não existe nenhuma alma tão parecida com a minha da me poder amar suficientemente). Me perguntava como estou e falei pra ele a verdade. Que é um período ruim, que estou cansada, que não entendo o porque de toda essa dor.

Quando falo com ele sempre penso que foi muito esperta em não escolhe-lo pra ficar juntos. De um jeito, poupei a sua vida. Agora está casado, tem um filho e imagino esteja feliz. O que eu poderia oferecer pra ele, além das boas lembranças.

E só que é estranho perceber como as pessoas que me disseram que me amavam, acabaram todas casando com outras mulheres. Talvez é por isso que eu mesma me casei com alguem que nunca me amou como eu quero ou preciso.

LXXII dia

Seria muito mais simples se eu não gostasse de mim.

Seria até melhor, se, dessa vida, eu conhecesse somente os aspectos piores.

Mas eu gosto de mim e sei que, alem das dificuldades, a vida oferece momentos de grande felicidade.

È isso que me deixa triste e apavorada. O timor que a melhor estação esteja acabando.